Mochilão Bolívia, Chile e Peru


Antes de ler o roteiro abaixo, gostaria de informá-los que se trata de um rascunho. Portanto, ignore os erros gramaticais e ortográficos e utilize-o como base para um roteiro mais atual.

Período: 03 até 22 jan 2014 – Mochilão Bolívia, Chile e Peru

=> Santa Cruz de La Sierra (BOLÍVIA)

Chegaremos dia 3 na hora do almoço e saída se possível no mesmo dia às 16:00. O ideal é não ficar na cidade, pois em Santa Cruz de la Sierra a única coisa que tem pra fazer mesmo é conhecer Samaipata – Onde morreu Ernesto Che Guevara. O local de exuberante natureza tem um museu arqueológico e o turismo explora a “Rota de Che”. Mas o provável que aconteça é de não conseguirmos comprar passagem para o dia. O que restará é procurar algum hostel próximo a Plaza das armas. A Praça 24 de Septiembre concentra as principais atrações da cidade: a Catedral de San Lorenzo e os museus de Arte Sacra, de História Regional e a Casa da Cultura. Ali perto, o pitoresco Mercado SieteCalles.

O que iremos fazer: Almoçar/Jantar e passear pela cidade, conhecer Plaza das Armas e uma voltinha pela cidade.

Observações: Se preferir ir de ônibus deve comprar passagens *ônibus para Sucre (dicas de empresa: Mo par) + 17 horas de viagem. (NÃO RECOMENDADO DEVIDO ÀS PÉSSIMAS CONDIÇÕES DAS ESTRADAS, ABORTAMOS ESSA OPÇÃO). Melhor opção é ir de avião para o Sucre de pela Companhia Airline Amaszonas ou Bienvenido – Boliviana de Aviación ou Bolivia Airline. (comprar assim que chegar em Santa Cruz !!!)

*ônibus: compre suas passagens com destino a Sucre para a noite para economizar com hospedagem. Os ônibus de Sta Cruz para Sucre saem no final da tarde (16:00 em diante), compre as passagens com antecedência, ou vai pagar mais. Talvez tenha de dormir em Sta Cruz, para esperar o dia seguinte. Por isso opções de hostel abaixo:

Opções de hospedagem:
Backpackers Santa Cruz Hostel
Bem recomendado Hostel Jodanga (Próximo ao Parque Urbano)
Bem recomendado Loro Loco Hostel


=> Sucre (BOLÍVIA)

Chegaremos no dia 4 às 18:00 e saída no dia 5 às 14:00. Assim que chegar vamos procurar um hostel, aproveitar pra se adaptando a altitude e o frio. Tem 2.800m de altitude foi fundada em 1538 com o nome de Vila da Prata. Sucre, capital oficial da Bolívia, cidade branca da América, como também é conhecida, é calma e limpa e foi declarada Patrimônio Cultural da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco). Tem vários museus, casarões coloniais e igrejas. Boa dica dos mochileiros é conhecer o Museu Casa de la libertad (um dos monumentos mais importantes da Bolívia). Na casa foi assinada a primeira ata da independência do país. Abriga relíquias históricas, fica na Plaza 25 de mayo.

O que iremos fazer:
– Curtir a noite de Sucre (Tem uns barzinhos ótimos)

– Manhã bem cedo conhecer o maior Parque Cretáceo do mundo, com cerca de 5000 pegadas de quase 300 espécies diferentes de dinossauros! (manhã)
– Andar para conhecer a cidade (Centro Histórico). Mercado Central de Sucre; Catedral Metropolitana (arte sacra, um dos mais importantes do país) e Casa de La Libertad. (manhã)
– Outra Opção: – Ir a Feira de Tarabuco (Eu acho que é só aos domingos. Se houver atraso na programação da pra visitar. É bastante indicado por mochileiros)

Observações: – Comprar passagem para Potosi são 3 h de viagem, Ônibus para Potosí pela empresa Flota Capital, Transtin del Rey ou Trans Imperador, custa 17 bol = 5,57 reais. Ônibus para Potosi em vários horários o último sai as 18h00min).

Opções de hospedagem:
Kultur Berlin (recomendado)
Amigo Hostel
Joy Ride Hostel


 => Potosí (BOLÍVIA)

Chegaremos no dia 5 às 17:00 e saída no mesmo dia as 18 ou 19h pra economizar hospedagem. Potosí é uma cidade histórica tombada como Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO; é uma cidade bem parecida com Ouro Preto – MG, tanto pela arquitetura quanto pela importância histórica, política, econômica (Mineração) e cultural, porém plana além das ruas, becos, calçadas e prédios históricos. Potosí é a segunda cidade mais alta do mundo 4.070 metros de altitude. Aqui o Mal da Altitude (mal da montanha) começa a pegar pra valer. Afinal Potosi esta a 4100 m, prepare-se para as dores de cabeça. A solução é as Soroche Pills que são remédios para evitar o Soroche (mal da altitude) ou o recomendado aqui no Brasil, o Diamox, ou então folhas de coca para vc ficar mascando. São mais baratas são mais eficientes. As ruas simples de terra e uma população que vive em condições nem sempre adequadas não nos remetem aos tempos áureos (na época colonial) dessa antiga cidade que um dia foi uma das mais ricas do mundo. No entanto, Potosí, capital do departamento de mesmo nome, não esqueceu seu passado colonial, responsável pelas toneladas de prata extraída de suas minas locais com moinhos hidráulicos. Sua bem preservada arquitetura da época lhe rendeu o título de Patrimônio Histórico da Humanidade, pela Unesco, uma espécie de prêmio de consolação por séculos de exploração da miserável população.

O que iremos fazer: Somente aguardar o bus para Uyuni

Observações:
– Comprar passagem para Uyuni, 6 h de viagem. Fique ligado que o terminal de saída para Uyuni não é o mesmo onde você chega. Neste vão tentar te vender uma passagem absurdamente cara para Uyuni.
– Potosi-Uyuni, tem busão às 11:00 e 12:00 e depois 18:00 e 19:00. Cuidado na rodoviária.

Caso tenha que se hospedar… opção de passeios:
– Passeio nas minas de Cerro Rico: dica de empresa: maskaras tur
– Laguna de Tarapaya
– Centro Histórico (Casa da Moeda, Catedral de Potosí, Igreja de São Lorenzo, Museu Convento de Santa Teresa, Convento de São Francisco, etc.)

Opções de hospedagem:
Hostel La Casona (recomendado)
Em frente ao local aonde chega os ônibus de Potosi existe o Hotel Salvador e o Avenida também, em torno de 25 bol = 9 reais


=> Uyuni (BOLÍVIA)

Chegaremos no dia 6 por volta da 01:00 e saída para o passeio às 10:30. Um dos pontos chaves da viagem, aqui vamos pegar uma excursão de 3 dias pelos Altiplanos Bolivianos. A gente chega na cidade de madrugada vai para o albergue, no outro dia acorda cedo, imediatamente vamos fechar o passeio que sai as 10:30 da manhã. Na cidade absolutamente nada pra fazer, serve apenas para fechar o passeio para o Salar de Uyuni e já combinar para último dia ficarmos em São Pedro de Atacama. Empresas sugeridas: Expediciones Latitudes, Colque Turs, Cordilheira Tours, Castilla Tours, fica na Esquina da PRAÇA, Andrea’s Tours OU pesquisar outras opções pela cidade de manhã bem cedo.

O que iremos fazer:
– Conhecer o Salar de Uyuni (O maior deserto de sal do mundo) e após seguiremos uma excursão de 3 dias pelos Altiplanos Bolivianos até chegada na fronteira Bolívia/Chile. A hospedagem de duas noites (equivalente há 3 dias) é oferecida pela própria agência que fecharemos o passeio.

– Lugares que iremos passar durante a excursão de 3 dias até chegada na fronteira Bolívia/Chile: (Cemitério de Trens – Salar de Uyuni – Colchani – Ilha de Pescado – Agencha/Hotel de Sal – Salar de Chinguana – Vulcão Ollague – Deserto de Silol – Arbol del Pedra – Geysers – Laguna Polques – Deserto Salvador Daly – As principais lagunas dos Altiplanos Bolivianos, como a Laguna Verde – Laguna Blanca, Laguna Colorada, etc…)
-Altitude 3.650m (mas o tour pelo salar em 3 dias oscila entre 3.900 a 4.300 m)

Observações: Faça o possível para não precisar ficar em Uyuni, pois não tem nada pra fazer, portanto se ocorrer algum atraso na viagem (Potosi para Uyuni) e chegar de manhã já fecha o passeio e já parte naquela manhã mesmo. A própria empresa que irá nos conduzir pelo Salar já nos deixará em San Pedro de Atacama por volta das 17:30 no dia 8 e também irá nos conduzir ao processo de imigração na fronteira Bolívia/Chile.

-A noite faz uma friaca só, estejamos preparados, Uyuni é uma das cidades mais frias da Bolívia. Não deixe a empresa colocar mais de 6 pessoas no jipe, afinal são 3 dias. (Somos 12, a agencia deve disponibilizar 2 jipes)

– Comprem água em Uyuni e levem muita. Levem tb papel higiênico porque não tem em lugar nenhum. Nos albergues noturnos têm cobertas, mas se você preferir, leve saco de dormir para reforçar (-15C°). Óculos escuros indispensáveis, se não levar, vc vai se sentir como se estivesse visitando o próprio sol. E também protetor labial ou manteiga de cacau pra proteger os lábios do frio e depois do ar seco de São Pedro de Atacama.

Opções de hospedagem:
Hostel “Oro Blanco”
Hostal La Magia de Uyuni


 => San Pedro de Atacama (CHILE)

Chegaremos no dia 8 às 18:30 e saída no dia 10 às 20:30. São Pedro de Atacama é uma cidade pacata, estilo faroeste (ruas de terra), mas possui boa estrutura para o turismo. Chuvas escassas, cenário árido comparável ao encontrado em Marte, o lugar mais seco do mundo. San Pedro também tem muitas opções para quem gosta de esporte de aventura, como Mountain Bike e Sandboard nas dunas do Atacama. A bicicleta é sempre uma boa opção para conhecer a cidade de um jeito divertido. No Atacama, dá pra ir à Quebrada del Diablo e à Pukara Quitor. É a cidade mais cara de toda a viagem, então segurem suas compulsões capitalistas e nada de exagerar!

O que iremos fazer:
– Alugar uma bike para passear pela cidade, ir a Pukara de Quitor e Quebrada del Diablo. Conhecer centro artesanal de San Pedro do Atacama; museu arqueológico Padre Le Paige rico em cerâmica atacamenha, múmias, tecidos e objetos religiosos entre outros; Igreja de San Pedro do início do século XVI, uma bonita construção legada pelos antigos colonizadores espanhóis.

– Alugar Bike e a prancha de sandboarding para descer as dunas e depois ver o por do sol no Valle de la Luna. (Dá pra fazer sem agencia, tem que ir com mapa, muita disposição e água!!)

– Contratar agencia para fazer o **Tour Astronômico (Observar as estrelas de madrugada, dizem que é o céu mais estrelado do planeta)

**A dica é ir somente com um Francês (pesquisar lá a agencia dele). O cara é uma enciclopédia ambulante!

Além do Sandboarding, Tour Astronômico e por do sol no Valle de la Luna como citados acima… tem outros passeios pra conhecer diferentes paisagens, que são também os principais atrativos turísticos do local como os Geysers del Tatio, Salar de Atacama, as Termas de Puritama, as Ruínas de Tulor, os vulcões Licancabur e Lascar, Lagunas Altiplânicas, entre outros.

Opção de agencias de passeios: World White Tour, Sol andino expedições, entre outras que tem na cidade.

 Observações:
– Comprar passagem para Arica, 9 h de viagem. A viagem até Arica é longa, mas bem confortável o horário do ônibus é 20:30. Consultar: Turbus
– Como no Chile é tudo mais caro faremos algo pra almoçar/Jantar no Hostel. Alimentação: para comprar alimentos para o café da manhã e água, refrigerante fuja do centro da cidade. Caminhe pela rua principal – Caracoles – até o fim. Vc vai encontrar uma vendinha (mercadinho, boteco, quitanda, armazém) onde tudo é mais barato.

Opções de hospedagem:
Hostel Juriques
Hostel  Casa Corvatsch –  (O que eu fiquei. Muitooo Bom!!)
Hostel Florida


 =>Arica (CHILE)

Chegaremos no dia 11 às 05:30 e saída no mesmo dia. Arica fica as margens do Oceano Pacifico e revela paisagens impressionantes. Ela está localizada no extremo norte do Chile (na costa Oeste), muito próximo à fronteira do Peru e Bolívia, por isso tornou-se um ponto de conexão por via terrestre entre os três países. Arica tem uma infra-estrutura excelente para receber o turista, com muitos bares restaurantes e hospedagens, esta na Rota Bolívia-Peru-Chile. Na cidade de Arica inclusive, pode-se encontrar um casino. Arica é uma Zona Franca, e é altamente atrativa para os turistas para fazer compras de roupas ou principalmente eletrônicos, com preços muito atraentes e tudo legalizado. A cidade é de grande importância para região, tanto serve para carga e descarga de mercadorias, como também embarque e desembarque para cruzeiros. Uma dos atrativos é o Parque Nacional Lauca na província de Parinacota e em cerca de 3 horas estar a mais de 4 mil metros vendo a neve cair no lago mais alto do mundo, o Lago Chungará, ou ainda com um pouco mais de tempo e esforço subir à mais 6 mil metros e alcançar o cume dos vulcões gêmeos Payachatas.

O que iremos fazer:
– Tomar café da manhã, molhar o pezinho no Pacífico, andar pela cidade e subir o mirante pra ver o Oceano Pacifico.

Observações:
– Comprar passagem para Tacna (táxi), 1 h de viagem. (para chegada na fronteira Chile/Peru – Dependendo do Taxista ele ajudar agilizar o processo de imigração).

 “Há apenas duas opções para cruzar a fronteira. A melhor de todas e ir de TÁXI, que pode ser encontrado no próprio terminal, ou melhor, os caras te acham e praticamente te puxam para ir com eles. O preço e um pouco a mais do que ir de BUS, mas as vantagens são enormes. De táxi o cara arranja mais 3 pessoas para enche-lo e te leva mais rápido do que o BUS que tem capacidade para 40 pessoas. Com o táxi quando você para na Aduanta do Peru para carimbar o passaporte, tem que esperar somente os outros 3 que estão com você para seguir viagem novamente ate a aduanda do Chile. E la é o problema, você tem que tirar toda sua bagagem para passar esta pela esteira …. imagina se tivesse em um bus com 40 passageiros …. é demorado pra caramba. O pessoal do Chile vê tudo … tudo mesmo, cuidado se estiver levando folhas de Coca. Outra coisa, com táxi achei muito mais seguro esse tramite de atravessar a fronteira.”

– Caso tenha que se hospedar… opção de passeios:
-Museo Arqueológico;
-Iglesia de San Marco, projetada por Gustave Eiffel.
-Perto de Arica estão ainda à cidade histórica de Putre e o povoado indígena Parinacota.
-Oceano Pacifico – A principais atrações dentro da cidade são suas praias, principalmente El Laucho, La Lisera e Brava;
-Parque Nacional Lauca, já na divisa com a Bolívia, a 4.400 metros de altitude: No parque se avistam inúmeros mamíferos típicos da região como viscachas, guanacos, alpacas e lhamas, além de outras inúmeras espécies de animais e de plantas, entre elas uma espécie de cacto que só existe aqui. Os vulcões Parinacota e Sajama, além do Lago Chungará, estão dentro dos limites do parque e podem ser admirados.

Opção de agencia: Turismo Sol del Norte (Tour Lago Chungará ou City Tour Arica)

Opções de hospedagem:
Hostal Sunny Days (5 minutos a pé da praia de Chinchorro – molhar o pezinho no Oceano Pacífico, rs)
Hostal Pacifico


=> Tacna (PERU)

O Taxista deixará em Tacna… esta cidade é somente com objetivo de pegar o busão para Arequipa a noite. Pois Tacna não tem nada de interessante pra visitar.

O que iremos fazer:
– Comprar passagem para Arequipa, 7 h de viagem, Soma Tours Peru ou Rota Andina.
– Andar pela cidade, se alimentar até a hora de pegar o busão.


=>Arequipa (PERU)

Chegaremos no dia 12 pela manhã e saída no dia 14 às 20:00. Vamos procurar albergue, pois ficaremos uns dois dias por aqui. Arequipa é uma cidade bem bonita e turística também. Localiza-se no sul do país, a 2300 metros de altitude, estendendo-se numa área de oásis localizada num vale das montanhas desérticas da cordilheira dos Andes, e rodeada por vários picos, entre os quais o de Misti, com cerca de 5822 metros de altitude. A cidade de Arequipa metropolitana conta com mais de 4 shoppings e dois terminais rodoviários, um para destinos nacionais e o outro para destinos internacionais.

O que iremos fazer:
– Contratar agencia: para fazer City Tour na cidade de Arequipa, ir ao Mirador de los Andes – Cordilheira Vulcânica: Vulcões El Misti (5825m), Chachani (6075m), Mirador Yanahuara, Ampato, Sabancaya e outros e visitar o Canyon del Colca pra ver ver o Voo do Condor. A viagem é meio cansativa, pois sai de madrugada, de bus e/ou Van (às 03:00 e retorno às 15:00). É que o Condor tem hora certa pra voar, só entre as 6:00h e 7:00h da manhã;
– Passear pela cidade pra conhecer o Centro Histórico (Plaza de Armas, Catedral, Museus, Mercado Municipal, etc.);
– Mosteiro de Santa Catalina;
– Museo de Arte Colonial del Monasterio de Santa Teresa;
– Museo de Los Santuarios Andinos de La Universidad Santa Maria (Múmia Juanita).

Observações e dicas:
– Comprar passagem de Ônibus para Cuzco pela empresa
Oltursa (consultar no site valores) muito boa! (PREFERIMOS ESSA OPÇÃO);
– Às vezes o aéreo não é muito mais caro do que o ônibus e te dá mais tempo em uma cidade. A dica é procurar por voos em companhias aéreas locais;
– Tente também ficar próximo à Plaza de Armas, que é na minha opinião, a mais bonita de todo o Peru, com a gigantesca Catedral e os vulcões ao fundo;
– Não deixe de ir ao mosteiro de Santa Catalina, é demais, tudo do jeito que era antigamente, uma arquitetura fascinante! uma viagem alucinante no tempo!!
– Não deixe de ir ao museu de múmias andinas (Museu da Juanita)! Tem uma menina congelada que foi encontrada num vulcão… é perfeito… fora a historia da menina;
– Dicas de Alimentação: “The Tuturutu” – Portal de San Agustín, 105 (Plaza de Armas) e Restaurante e Cyber Café Albur – Pasaje Catedral, 103 (perto da Plaza de Armas).

Opções de Hospedagem:

Wild Rover Hostel Arequipa (O mais recomendado!!!!! Fique nele, ADOREI !!!)
– Confira: outras boas opções de hostels em Arequipa


=> Cuzco, Vale Sagrado, Águas Calientes e Machu Picchu  (PERU)

Chegaremos em Cusco no dia 15 às 07:00 e saída no dia 21 às 21:30. É aqui que gastaremos mais e que ficaremos mais tempo também. Vamos chegar pela manhã procurar um albergue e o primeiro dia é livre para fazermos o que quiser e descansar um pouco se for o caso. Cuzco tem 3.400 m altitude. Por sua antiguidade e importância histórica, o Centro Histórico de Cusco conserva muitos edifícios, praças e ruas de épocas pre-hispânicas assim como construções coloniais, o que motivou ser declarada Patrimônio Mundial em 1983 pela UNESCO. A cidade de Cuzco conta com boa infraestrutura para o turista, desde hotéis de luxo até albergues para mochileiros. OBS: Cusco é a porta de entrada para a cidade Inca de Machu Picchu, e é dela que saem os trens e ônibus para Ollantaytambo – Machu Picchu.

O que iremos fazer:

Opção1°(16 a 19): Trilha Inca Jungle passando por todo o Vale Sagrado, Águas Calientes e por fim Machu Pichu. Retorno para Cuzco no dia 19 no período da noite. 

Opção2°(16 a 19): Conhecer a cidade a pé; contratar uma agência pra fazer: City Tour na cidade de Cusco (Qorikancha, Saqsaywaman, Qenqo, PukaPukara, Tambomachay); Tour nas Ruínas de Moray e Salineras de MarasPasseio pelo Vale Sagrado dos Incas (Pisaq, Ollantaytambo, Chinchero, além da cidade de Urubamba), Águas Calientes e por fim Machu Pichu.

O NOSSO GRUPO FOI DIVIDIDO! E EU E QUATRO AMIGOS PREFERIMOS A OPÇÃO 2° acima

OBS: Tem que se reservar, além do dia em Machu Picchu outros 3 ou 4 dias para City Tour na cidade de Cusco e outros Tours/Passeios. É melhor fazer esses antes de ir pra Machu Picchu.

No tempo livre em Cusco você vai poder visitar alguns museus que estão incluídos no Boleto Turístico! e de resto é só caminhar sem rumo pelas ruas e curtir a arquitetura. Um Roteiro a pé no Centro Histórico de Cusco é ótimo para conhecer e contemplar sua beleza e estonteante arquitetura inca e colonial espanhola. E à noite tem a parada obrigatória no Pub Mamma África e nos outros barzinhos da Plaza! Se o tempo for curto leia mais sobre: Como conhecer o Centro Histórico de Cusco, Peru em 2 hs

Observações:

-A Inka Cola é um refrigerante originalmente Peruano, e por conseqüência o mais consumido no país. Experimente!

-Prove algumas das especialidades da culinária nacional, dentre elas o cebiche, a truta e o cuy. Sempre acompanhados de uma Cusqueña geladíssima ou um pisco sour (“caipirinha” peruana) quando o calor permitir… rs

A carteirinha de estudante internacional ISIC dá desconto de 50% na compra do boleto Turístico. O estudante tem que ter menos de 26 anos para usufruir do desconto!

– Compre o Boleto Turístico no Instituto Nacional de Cultura, na Av. Sol 103 Of. 102 Galerias Turísticas, pois será necessário para os Tours, Vale Sagrado e outros passeios que for fazer por conta própria na cidade como, por exemplo, alguns museus. Um boleto completo permite visitar 16 atrações entre museus e centros arqueológicos, valendo por dez dias. As opções de boletos parciais incluem menos atrações e são válidas só por um dia. Leia o artigo: Boleto Turístico de Cusco, onde comprar? Saiba tudo sobre ele!

Opções de hospedagem:

Wild Rover Hostel Cusco (O mais recomendado!!!!! Fique nele, ADOREI !!!)
LOKI BackpackerHostel
– Confira:
outras boas opções de hostels em Cusco

Sobre Machu Pichu: Conhecida como a “cidade perdida dos Incas”, Machupicchu, por sua incomparável beleza e força espiritual que emana dos remanescentes arqueológicos, é privilegiada por fazer parte de um seleto grupo de monumentos mundiais que milhões de viajantes de cinco continentes sonham em visitar, estando inclusive entre uma das 7 maravilhas do mundo moderno. A cidade está encravada na área mais inacessível dos Andes, escondida dentro da floresta tropical e construída com uma localização geográfica privilegiada que combina as montanhas sagradas, água corrente e um alinhamento celestial quase perfeito, especialmente para a passagem do deus sol.

Para alguns pesquisadores, Machupicchu teria abrigado uma espécie de convento para as Virgens do Deus Sol. Outros dizem que a cidade foi fechada quando o soberano Inca morreu. No entanto, pouco se sabe sobre a sua finalidade e certamente nunca se saberá realmente o que teria levado os antigos habitantes de Machupicchu a abandonarem sua cidade.

O certo é que, com todos os mistérios que ainda cercam essas construções, não há dúvida de que Machupicchu foi uma cidade meticulosamente idealizada, que representou um centro geográfico sagrado para os incas e que hoje é considerada uma das obras primas da engenhosidade do homem.

Como visitar Machu Picchu: Existem várias opções para se realizar esse trajeto:

I – Trilha Inca: 4 dias e 3 noites, geralmente feita com reserva, custa por volta de US$250,00 (dólares). A trilha é repleta de ruínas incas nos seus 40 km de extensão, variando de 2400 até 4200 mts de altitude. A Trilha Inca Clássica é a mais concorrida. Só é possível fazer com alguma agência (não dá pra ir por conta), e é preciso reservar com meses de antecedência – só conseguimos vaga porque janeiro é baixa temporada (época de chuvas-novembro até abril).

II – Trilha Alternativa (Salkantay): mais barata, porém não é a trilha tradicional, mas também possui belas paisagens; geralmente não precisa de reservas, mas assim como a Trilha Inca, deve ser feita com agência autorizada. Dura 5 dias e 4 noites. O seu preço chega ao máximo de US$180,00 (dólares)

III – Bus/ Trem: É a opção mais complexa, mas ao mesmo tempo é a mais indicada para mochileiros de orçamento apertado que queiram aproveitar mais Machu Picchu. Essa opção pode ser feita por conta e também por agência, mas ambas ficam no mesmo valor, devido aos benefícios das agências perante o INC. Pegar um ônibus até Ollantaytambo e de lá pegar o trem (PeruRail) para Águas Calientes (1.900m altitude). Pernoitar em Águas Calientes para subir cedinho para Machu Picchu e pegar a cidade vazia. No final da tarde voltar Águas Calientes para pegar o trem até Ollantaytambo e depois ônibus de volta para Cuzco (Noite). Se for pela agencia o pacote inclui tudo, menos almoço/janta. (A QUE EU FIZ)

Opções de hospedagem:

Confira: boas opções de Hostels em Águas Calientes/Machu Picchu

Dicas:

– Itens que não podem faltar na sua mochila quando for escalar a Montanha Machu Picchu e Huayna Picchu: repelente, protetor solar, água, lanche, chapéu, casaco (impermeável) e câmera fotográfica. EU ESCALEI A MACHU PICHU, mas a outra opção é escalar o Huayna Picchu é uma aventura radical que vale a pena. Obs: Não é necessário escalar essas duas montanhas para ver aqueles visuais que estamos costumados a ver na internet.

-Tudo o que tiver que comprar para levar a Machu Picchu, é melhor comprar em Cuzco ou Ollantaytambo, em Águas Calientes pagará o dobro, não se esqueça de levar lanche, e muito. Machu Picchu dá uma fome de leão, e lá os preços altos.

– Geralmente o dia amanhece feio em Machu Picchu, deixe para tirar suas fotos depois do meio dia.

Atividades finais:

Providenciar: Passagens direto de Cuzco para La Paz // depois de La Paz para Santa Cruz de La Sierra // e por fim táxi para Aeroporto Viru Viru para pegar o voo de 12:50 para o Rio de janeiro com chegada prevista as 20:30 do dia 22 de janeiro de 2014.

Meu roteiro do Mochilão Bolívia, Chile e Peru infelizmente termina por aqui... Meus Amigos continuam para conhecer Puno (Peru), Copacabana (Bolívia) pra conhecer as Ilhas Flutuantes e o Lago Titicaca-Lago, considerado o único lago comercialmente navegável mais alto do mundo (Cerca de 4000m de altitude) e também La Paz (Bolívia) pra conhecer a cidade, mercado das bruxas E de Artesanato, Valle de la Luna, Montanha Chacaltaya, Downhill Coroico-Estrada Da Morte (considerada a estrada mais perigosa do mundo). Mas está nos meu planos a Montanha Chacaltaya e Downhill Coroico-Estrada Da Morte (Bolivia) para uma próxima!

Gastos antes da viagem: R$ 1050 (ida e volta=> Galeão-RJ/Sta Cruz de La Sierra-Bolívia & Sta Cruz de La Sierra-Bolívia/Galeão-RJ –  passagens comprada em set/2013)

Gastos durante a viagem: R$ 3000 (1200 dólares – jan/2014) 



Informações adicionais sobre esse Mochilão Bolívia, Chile e Peru:    

-Importante: Na América Latina (vi isso na Bolívia e no Peru) as notas de 100, 50 e 20 dólares são mais bem aceitas que as notas de 10, 5 e 1. Aliás estas últimas costumam até ter uma cotação inferior. Sendo assim, prefira as notas de 100, 50 e 20. Sem riscos, rasgos ou manchas! Eles não aceitam notas danificadas ou muito antigas!!

-MUITO IMPORTANTE: NÃO compre notas de 100 dólares da série que começa com as letras CB, elas não são bem aceitas na Bolívia por que foram muito falsificadas por lá!

-EXTREMAMENTE IMPORTANTE : Uma dica de segurança: scanneie todos os seus documentos,  e envie as imagens para o seu email. Caso seus documentos sejam roubados ou perdidos você terá como imprimir uma cópia deles e facilitar a retirada de um passaporte de emergência no consulado brasileiro do país onde você estiver.

-Nunca leve todo o dinheiro e cartão de crédito/débito no mesmo local. Você corre o risco de perder tudo caso venha a sofrer algum tipo de roubo ou furto. O famoso moneybelt ou doleira, que é uma espécie de carteira grudada ao corpo na cintura, usada por dentro da calça, é sem dúvida um item indispensável. É importante ressaltar que os assaltantes conhecem este tipo de carteira. Por isso, divida seu dinheiro em partes e espalhe pela mochila. Coloque em bolsos de calças guardadas na mochila ou dentro de frascos vazios para que num eventual assalto, você não perca todo o dinheiro.

-Sempre ande com sua doleira na cintura com dinheiro, RG, cartão e os comprovantes das fronteiras e se der o passaporte também. Lembre-se de sempre que levar seu dinheiro embrulhe-o em um saco plástico. Quando em contato com o corpo, mesmo usando o moneybelt, a transpiração do seu corpo passará para as notas e essas poderão ser danificadas. Portanto, tudo que é papel (dinheiro e documentos) sempre embalado em pequenos sacos plásticos. Aqueles sacos com fechamento tipo “zip” são perfeitos.

-Também vale a pena ter Clorín (pastilhas pra purificar a água, já que não tem onde comprar durante a caminhada), você compra em farmácias.

-Deixe Macchu Picchu para o fim da sua visita. Depois dele, tudo fica meio sem graça. Carimbe seu passaporte na entrada de Machu Picchu. Você mesmo pode fazer isso.

-Tenha sempre moedas no bolso para dar uma “propina” para as cholas e crianças quando tirar foto delas.

-Vacinas Necessárias- nem todas que serão citadas são obrigatórias, mas são recomendadas: Febre Amarela (obrigatória), Tríplice Viral (Sarampo, Rubéola e Caxumba), DT (difteria e tétano) e hepatite B. Obter o certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP) emitido pela ANVISA

-Usar cadeados com trava TSA (permite aos agentes do aeroporto que destravem, inspecionem e tranquem sua bagagem sem danificar o cadeado) levar um bom cadeado também para os armários dos hostels!!

-Não esquecer adaptador de tomada e Cartão de memória extra. (Vai precisar, vai por mim!)

-Leve dólares e vai trocando de acordo com a necessidade e somente em casas de cambio (mais seguro)

-O povo boliviano é muito simples, seus costumes são totalmente diferentes dos do brasileiro, a higiene não é uma obsessão, por isso cuidado com o que come, evite a comida vendida na rua, prefira pagar um pouco mais, comendo num restaurante higiênico do que se expor a pegar uma cólera. Consuma água mineral engarrafada, a água chamada de potável é de péssima qualidade, se vai usar previna-se e ferva antes de beber. Além disso, cuidado com o transito de La Paz, é caótico, não respeitam a sinalização.

E o que eu sempre digo: Pra ser considerado Mochileiro, tem que fazer o Mochilão Clássico: Bolívia, Chile e Peru.

Mochilão Bolívia, Chile e Peru
Avalie esta postagem

O Booking é um dos maiores sites de hospedagem do mundo que ajuda os viajantes decidirem a reserva com base nas dicas, comparação de preços, fotos do estabelecimento, avaliações e comentários feitos por ex hóspedes principalmente nos quesitos: atendimento e higiene do local. Fizemos uma parceria com o booking e você reservando por aqui, ajuda o blog a manter atualizado com novas dicas de viagem. Lembrando que você leitor não paga mais nada por isso! E apenas acessando através da imagem/pesquisa abaixo e não reservando ou reservando e cancelando não ganhamos nada. Também não ganhamos nada apenas por divulgar o site deles. CLIQUE ABAIXO e pesquise bastante usando os filtros, tenho certeza que encontrará uma hospedagem ideal pra você! Eu uso sempre e recomendo!
Booking.com

Comentários